sexta-feira, 31 de maio de 2013

Ser o silêncio da noite,
arder em tua pele cortando feito açoite.
Ser tempestiva chuva,
percorrer teu rosto feito lágrima,
soprar teus cabelos igual ventania.
Ser tua resposta imediata,
o teu porto seguro no caminho incerto.
Ser uma flor de lótus em teu deserto,
o orvalho a saciar tua sede.
Ser pássaro livre para alçar grandes vôos contigo,
cair com leveza no chão,
repousar teu corpo nas folhas secas.
Beijar teus lábios com pura paixão,
ser teu sonho desenfreado de realidade,
brilhar nos teus olhos com sabor de saudade.
Sentir, chorar, tocar teu ser,
doer devagarinho por dentro,
ser tua alegria, ser teu alento
ser o teu viver.