terça-feira, 19 de julho de 2011

A ordem é “Livre-se do desnecessário"

sempre completo de novas promessas de renascimento. Cada momento por que passamos é um novo nascimento, uma nova oportunidade para criar um pensamento original, ou tomar uma atitude diferente e cada vez que se deixa para trás um velho conceito a respeito de si mesmo, trata-se de um nascimento. Nascimento e morte são eventos simultâneos, pois alguma coisa velha precisa morrer para dar lugar ao novo.
Então, devemos deixar a vida fluir, deixar o velho ir para o novo ter espaço. Nesse período seremos desafiados a vencer o medo da morte, a agressividade, o apego à matéria, a atitude de vítima. Devemos procurar vencer o orgulho intelectual e subjugar, de uma vez por todas, o ego manipulador que existe dentro de nós. Urge a necessidade de nos libertarmos do desejo de querer controlar as coisas e assim, deixar que as idéias fluam. A ordem é “Livre-se do desnecessário, daquilo que já não serve para nada, desde amizades, leituras, lugares que freqüenta, até as crenças limitadoras que impedem que você seja você mesmo!”.

sábado, 16 de julho de 2011

Sempre e sempre!!!

Sempre existirá...

"Mesmo diante de todos os problemas, da maior das dores, do desabar de tetos, das lágrimas que rolam... Mesmo quando as coisas que sonhamos, as pessoas de quem gostamos, os momentos que nos cativam e os sentimentos que nos confortam se vão... Mesmo quando há mais não que sim, as portas se fecham a todo instante, há mais noite que dia, há mais problemas que soluções... Mesmo quando tudo parece perdido, quando todos parecem ter desistido, quando o provável se torna impossível... ... sempre haverá um caminho. ... sempre haverá uma solução. ... sempre haverá um amanhã. ...enquanto mantivermos brilhando a Luz do Olhar... A Luz que guia, que mostra a esperança, um novo caminho, uma nova alternativa e nos conduz à vitória!"

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Aquilo que somos é o nosso mundo!

A beleza que tanto buscamos está no nosso interior.
Não há roupa, nem penteado que embeleze a falta de caráter.
Vivemos em um mundo preocupado com o exterior,
onde tudo tem que haver uma retribuição,
até no amor, espera-se “recompensa”.
Nas brigas de casais, amigos ou familiares,
quase sempre ouvimos queixas do tipo:
- depois de tudo o que eu te fiz!
Verdadeiras cobranças infundadas,
cheias de mágoa e ressentimento,
frutos das atitudes exteriores que praticamos.
Esperamos demais sem oferecer tanto assim.
Alma querida!
Antes que o sol se ponha novamente, aprenda:
- o que vale é o que vai dentro de você!
Faça tudo com serenidade, mantenha-se de bem com você.
Faça o seu melhor, não espere nada dos outros,
você mesmo deve olhar para o que fez e sentir-se bem.
Ainda que venham críticas, desaforos, mal-agradecimentos,
nada disso vai te afetar, porque você sabe que fez o melhor.
Vista a alma com bons pensamentos,
perfume-a com boas ações.
Penteie as emoções com o bem,
seja uma pessoa linda no seu interior,
e brilhe pelo encanto de refletir na sua face,


a própria face do Criador.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Eu quero saber...

Eu quero saber...
Não me interessa o que você faz para viver,
eu quero saber o que de fato você busca e se você é capaz
de ousar sonhar em encontrar as aspirações do seu coração.
Não me interessa a tua idade.
Eu quero saber se você será capaz de se transformar num tolo
para poder amar, viver os seus sonhos, aventurar-se de estar vivo.
Não me interessa qual o planeta que está em quadrante com a tua lua.
Eu quero saber se você tocou o centro da tua própria tristeza, e se você
tem sido exposto pelas traições da vida ou se você tem se contorcido e
se fechado com medo da própria dor.
Eu quero saber se você é capaz de ficar com a alegria, a minha e a sua.
Se você é capaz de dançar loucamente e deixar que o êxtase te envolva
até a ponta dos dedos dos pés e das mãos, e sem querer nos aconselhar a
sermos mais cuidadosos, mais realistas ou nos lembrar das limitações de ser humano.
Não me interessa se a história que você está me contando é verdadeira.
Eu quero saber se você é capaz de desapontar o outro para se verdadeiro consigo mesmo.
Se você é capaz de escutar a acusação de traição e não trair a sua própria alma.
Eu quero saber se você pode ser confiável e verdadeiro.
Eu quero saber se você pode ver a beleza, mesmo quando o dia não está belo,
e se você pode conectar a sua vida através da presença de Deus.
Eu quero saber se você é capaz de viver com os fracassos, os teus e os meus,
e mesmo assim se postar nas margens de um lago e gritar para o reflexo da lua, "SIM"
Não me interessa onde você moro ou quanto dinheiro você ganha,
eu quero saber se você é capaz de acordar depois da noite do luto e do desespero,
exausto e machucado até a alma, e fazer aquilo que precisa ser feito.
Não me interessa o que você é, ou como você chegou aqui.
Eu quero saber se você irá postar-se no centro do fogo comigo e não fugir.
Não me interessa onde, o quê ou com quem você estudou.
Eu quero saber o que te sustenta interiormente quando tudo o mais desabou.
Eu quero saber se você é capaz de ficar bem consigo mesmo, e se você
realmente é boa companhia para si mesmo nos momentos vazios.